Lições de Manuel Sérgio

Atualizado: 7 de jun. de 2020


Fonte: Tribuna Expresso


Esta quarentena tem-nos permitido ter tempo para aprofundar diferentes conhecimentos acerca do jogo. Hoje trago-vos excertos de uma entrevista ao professor Manuel Sérgio realizada pelo Tribuna Expresso e pela jornalista Mariana Cabral. Uma entrevista com muito "sumo" e que leva a reflexões interessantes acerca de aspetos sociais e humanos dentro do Futebol. Manuel Sérgio como hábito provou ser um dos maiores senhores do futebol nacional e partilhou conteúdo muitíssimo interessante que importa ter em conta:


  • "Os treinadores não fazem o jogador, o jogador nasce. O treinador só tem de arranjar espaços para ele desenvolver o que tem. Se não eram Eusébios todos os dias, não era? E Messis e afins. Ainda no outro dia li uma entrevista do Messi... O Ronaldo vai muito ao ginásio e perguntaram ao Messi se ele o fazia, e ele disse que joga à bola tal como jogava em 'chiquito', em garoto, que aquilo é dele, não é de um treinador. É por isso que é necessário um diálogo permanente com o treinador. Não é o treinador dizer "eu mando e tal". Tem de se dirigir, comandar nunca. É o que digo: a grande revolução a fazer no desporto é cultural."


  • "Eu digo assim: não há remates, há pessoas que rematam; não há fintas, há pessoas que fintam. Se não conhecer as pessoas, não percebo as fintas. Isto é uma revolução, pá. Depois não sou convidado para nada, porque não vendo. O que é preciso é os gajos "ah você é isto, você é aquilo" e é uma vergonha, passa-se duas horas nisto. Algo está podre no reino da Dinamarca. É que aquilo nem futebol é. Mas dá dinheiro. É o nosso tempo e isso reflete-se no futebol. Costumo dizer também: o desporto reproduz e multiplica as taras da sociedade capitalista. A mania do rendimento, do recorde, da medida, da alta competição... Isto é tudo típico da economia capitalista."


  • "O José Mourinho é, intelectualmente, um superdotado. Ele não sabe mais de futebol do que os outros, é é mais inteligente. O que distingue o Mourinho não é o futebol, são as capacidades intelectuais que o tipo tem, que são anormais, pode crer. Oiça, o que distingue um treinador não é saber mais de futebol.O que distingue, depois, é o homem. Também costumo dizer: é o homem que se é, que triunfa no treinador que se pode ser. A diferença está aí, não está na tática."


  • "A prática é o critério da verdade".


  • "Cada ciência humana estuda o ser humano, cada qual à sua maneira. A história estuda o passado, é o conhecimento sistemático do passado do ser humano; a psicologia estuda o comportamento do indíviduo em relação ao ambiente; a antropologia é o ser humano como ser cultural... E nós estudamos o ser humano no movimento intencional da transcendência. A fisiologia está lá, mas é superada. Como aquela expressão do Hegel, a verdade é o todo. Se eu não conheço o todo, não chego à verdade. Ora o todo, no treino, é o ser humano. Por isso não digo periodização tática, digo periodização antropológica e tática, porque ao mesmo tempo que preparo a tática, tenho de preparar o homem que faz a tática."


  • "O que é para si um bom treinador?" "É, em primeiro lugar, um gestor de conhecimento. Tem de se dizer isto, porque nós vivemos na sociedade do conhecimento. Uma pessoa que saiba organizar e organizar-se. Se sabe que vai treinar pessoas e não objetos, deve organizar-se mais para dirigir do que para comandar. Quem dirige põe os outros a pensar com ele, quem comanda normalmente não ouve os outros e quem ouve os outros aprende muito com eles. O treinador é especialista em humanidade. Se os jogadores não o aceitam como homem, de nada vale saber muito de futebol."


  • "A diferença não está na tática, está na forma como eu, como líder, sei estar nas diversas situações."


  • "Quem só sabe de futebol nada sabe sobre futebol."


  • "Como dizia Ortega Y Gasset, "eu sou eu e a minha circunstância". Portanto quando me analisam não posso ser só eu. É a minha família, a minha cultura, a minha ideologia, a visão que tenho... há tanta coisa para ver."


Entrevista completa: https://tribunaexpresso.pt/entrevistas-tribuna/2017-03-20-Manuel-Sergio-o-filosofo-desportivo-Alguem-no-futebol-sabia-quem-era-o-Descartes--Nao-jogava-no-Benfica-o-gajo



Redigido por: Diogo Coelho

Não te esqueças de assinar o nosso newsletter

Obrigado por se inscrever.