Visão, técnica, irreverência e muito andamento! A dinâmica ofensiva do Borussia Dortmund!

Atualizado: 7 de jun. de 2020




Atualmente no 3º lugar da competitiva Bundesliga a quatro pontos da liderança, o Dortmund apresenta uma ideia de jogo diferenciada e consistente. Sensivelmente a meio da temporada, o treinador Lucien Favre decide mudar o esquema tático do 4-2-3-1 para o 5-2-3 (a defender) ou 3-4-3 (a atacar). Com uma ideia de jogo baseada na procura do espaço, a equipa do Dortmund carateriza-se pela sua versatilidade ao nível ofensivo, pela capacidade de construir desde trás em posse ou de transitar de forma rápida e inteligente. Prova disso são os 63 golos no campeonato- a equipa com mais golos marcados.

As mudanças no mercado de inverno (chegada de Can e Haaland) vieram tornar a equipa mais forte e, sobretudo, com uma dinâmica mais coerente com a ideia de jogo. Com a chegada de Can e com Witsel, a equipa parece ter estabilizado em relação à dupla de meio campo . Por lá passaram Brandt, Delaney (atualmente, lesionado) e Weigl, mas sem nunca conseguirem dar a segurança a nível defensivo e o fulgor a nível atacante. Com a chegada de Haaland, a equipa passou a ter uma referência atacante com capacidade não só para marcar muitos golos, mas também para provocar enorme desgaste à defesa e muitas das vezes de atrair para si marcações que vão ser aproveitadas pelos extremos (Sancho e Reus/Hazard).

A defesa é composta por Zagadou, Hummels e Pisczczek (da esquerda para a direita, respetivamente). Com um misto de juventude e experiência, a linha defensiva destaca-se, a nível ofensivo, pela técnica individual ao nível da construção (com o esquerdino Zagadou a ser o principal interveniente neste particular).

Emre Can é o médio mais posicional, funcionando como ponto de referência em caso de transições defensivas. Tem capacidade de tomada de decisão e papel ativo na construção. Witsel é o cérebro da equipa, é o médio com melhor capacidade de decisão, participa na primeira fase de construção, mas também em zonas mais avançadas do terreno. Tem uma maior liberdade para avançar no terreno. Ambos os médios têm um papel importante na pressão à equipa adversária, recuperação da bola e no início da transição ofensiva. São médios muito completos, com visão e conhecimento do jogo, com capacidade de passe e andamento.

Quanto aos laterais, Hakimi e Guerreiro, têm ambos o importante papel de dar largura e profundidade ao ataque da equipa alemã. Do lado esquerdo, Hakimi realiza, sobretudo, movimentos verticais aproveitando a sua velocidade e resistência. Do lado direito, Raphael Guerreiro tem caraterísticas que privilegiam um futebol associativo, pelo que tem maior capacidade de aparecer em zonas interiores e de combinar com extremo. Em ataque continuado aparecem ambos encostados à linha lateral. A forma como os 2 laterais atacam e aparecem em zonas de finalização, parecendo autênticos extremos, é uma imagem de marca deste Dortmund.

Os 2 extremos, normalmente Sancho e Reus, são os jogadores mais importantes na dinâmica ofensiva da equipa. Têm um papel de aceleração e criação no último terço. Aparecem em zonas interiores e são responsáveis pela maioria dos desequilíbrios das defensivas adversárias, seja por passe ou drible. Com uma qualidade diferenciadora, os dois jogadores destacam-se pela habilidade motora, capacidade de drible, tomada de decisão no timing correto e pela qualidade da execução. Pelas suas caraterísticas caraterísticas apresentam-se letais em situações de transição ofensiva. Para ter uma noção mais pormenorizada da importância destes jogadores, de referir que, por exemplo Sancho participa em 42% dos golos da equipa em jogos da Bundesliga (13 golos e 14 assistências) e que Reus em 26% (11 golos e 6 assistências).

Para o avançado Haaland começam a faltar adjetivos para o descrever... Em 5 jogos de Bundesliga tem 8 golos, em 7 jogos de Champions League tem 10 golos e coleciona no total 39 golos em 29 jogos na temporada - números verdadeiramente impressionantes. Mas não são só golos... Mostra grande capacidade de desgaste da defensiva adversária, principalmente devido aos movimentos a explorar a profundidade. Pelo destaque que tem tido e pelos movimentos de aproveitamento do espaço é sujeito a forte marcação, reduzindo a pressão dos defesas no espaço entre linhas e libertando os extremos para aparecerem em zonas interiores. Além disso, ainda se destaca pelos movimentos dentro de área, nomeadamente pelo timing, pela velocidade e pela inteligência ao nível posicional (extremamente rara em jovens com a sua idade).

Uma ideia coletiva com jogadores que não só encaixam nessa mesma ideia como têm uma qualidade acima da média e enorme margem de progressão. A versatilidade, a velocidade, a inteligência e a irreverência desta equipa só podem entusiasmar todos os adeptos do futebol. A forma como transitam com enorme velocidade, inteligência, visão e pela qualidade de decisão e de execução, mas também as dinâmicas em ataque organizado, chegando rapidamente a zonas de finalização, fazem do Dortmund uma equipa com enorme potencial no momento ofensivo. Quem sabe se não serão a grande surpresa desta edição da Liga dos Campeões! Uma equipa a seguir com muita atenção!


Dinâmicas em ataque organizado




Momento de transição ofensiva



Redigido por Diogo Coelho

Não te esqueças de assinar o nosso newsletter

Obrigado por se inscrever.